Ir para site do PS/Açores
Foto Academia de ciencias

O eurodeputado Ricardo Serrão Santos participou na conferência “Alimentos dos Oceanos”, que se realizou na Academia das Ciências de Lisboa (ACL). O deputado europeu, que é membro daquela academia, representou a ACL e o PE para comentar a agenda europeia sobre o futuro da alimentação que se desenvolve paralelamente aos objetivos das Nações Unidas para o desenvolvimento sustentável.

Na conferência participaram diversos cientistas como Elvira Fortunato, conselheira cientifica da Comissão Europeia e Louise Edwards, Secretária da Academia europeia para o grupo de trabalho do relatório “Food from the Oceans”.

Na sua intervenção, Serrão Santos, relembrou que “produzimos muito mais do que o necessário para alimentar o mundo, incluindo os 800 milhões de pessoas subnutridas”. Segundo a FAO, 25% dos alimentos que são desperdiçados seriam suficientes para alimentar esses 800 milhões de pessoas. Para Serrão Santos, “a pobreza é a principal causa de fome. O problema está relacionado não com a quantidade de alimentos que são produzidos a nível global mas com o acesso económico e físico à comida”. “Não só produzimos “comida suficiente” para alimentar o mundo de hoje, como temos uma grande parte da população comendo mais do que o que deveria, mantendo dietas ricas em calorias”. Em virtude disso, a obesidade tornou-se um estigma. “O mundo está agora a ser cada vez mais dominado pelas doenças não transmissíveis (por exemplo, doenças cardiovasculares, cancros, diabetes, etc.)”.

Para o eurodeputado “há necessidade de mudar o paradigma alimentar e os oceanos serão chamados a contribuirem mais para uma alimentação saudável isto aumentará a procura por recursos marinhos cuja produtividade já está altamente impactada pela pressão excessiva da pesca, pela poluição orgânica crescente, pela contaminação tóxica, pela degradação costeira e pelas mudanças climáticas”.

A finalizar Serrão Santos, olhando para o futuro, disse que “a mudança na governação representa, provavelmente, a única para aumentar a produção de alimentos do mar.”

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário